AKTIONSKREIS PATER BEDA

ATIVIDADES DA “REDE DE AÇÕES FREI BEDA DE APOIO A PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO”

(AKTIONSKREIS PATER BEDA FÜR ENTWICKLUNGSARBEIT E.V.)

Depois de sua volta do Brasil o franciscano Frei Beda recebeu de nossa província a tarefa de organizar palestras e exposições nas escolas e paróquias da Alemanha, propagando o trabalho dos franciscanos do Nordeste do Brasil, com o intuito de despertar vocações e interesse entre os jovens alemães.

Para envolver jovens num trabalho concreto Frei Beda também começou a organização de coletas de papel velho e roupas usadas. A venda destes materiais serve para obter ajudas financeiras para projetos pastorais e sociais e ao mesmo tempo estas campanhas envolvem voluntários de toda a sociedade alemã com o objetivo de experimentar a solidariedade para com os necessitados nordestinos.

Estas campanhas continuam até hoje a ser realizadas em mais de 60 municípios e comunidades dos estados da Renânia-Vestfália e Baixa Saxônia com uma população total de mais de um milhão de pessoas. Além disso foi necessário uma ampliação no campo de atividades. Tal ampliação apoia-se em entendimento mais amplo do nosso trabalho:

  • Construção de pontes entre Brasil e Alemanha;
  • Parcerias como fonte de diálogo e intercâmbio.

Ao lado de Frei Beda (presidente) e Udo Lohoff (diretor executivo), trabalha ainda uma funcionária de meio expediente, responsavel pela contabilidade. Mas a execução das numerosas atividades seria impensável, sem o comprometimento engajado dos numerosos colaboradores voluntários.

Em primeira linha, somos absorvidos pelas tarefas de formação e divulgação dos problemas sociais e pastorais, nos chamados países em desenvolvimento. Naturalmente também pelas tarefas de ligação entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento, sobretudo evidentemente o Brasil.

A população da Alemanha precisa sentir-se robustecida, em seu ânimo de cooperar nos esforços por mais justiça. Ela precisa sentir-se realmente convocada a trabalhar conjuntamente por Um só e Único Mundo. Isso acontece em decorrência da luta contra a pobreza, pelos direitos humanos, pelo respeito e conservação da natureza e também pelo eficaz desenvolvimento nos países do Terceiro Mundo.

Nosso trabalho acontece sobretudo em celebrações eucarísticas, palestras, exposições, discussões em grupo, publicidade na imprensa e remessa dos Informativos a mais de 350 multiplicadores. Acontece também em campanhas nas Comunidades e através de inserções na mídia.

O que pretendemos em tudo isso é deixar o Brasil real falar. Na consecução dos nossos objetivos, usamos projeção e discussão de slides, pinturas e quadros dos nossos artistas, relatos pessoais de experiências e aprofundamento intelectual das informações.

Existem diferentes caminhos de ver e formar a opinião mas, em nosso trabalho, privilegiamos a “visão dos pobres”, a “visão dos perdedores na história”. Estes, no Brasil, correspondem aos trabalhadores de baixos salários, às mulheres e mães da raça negra e aos índios brasileiros.

Em nossas ingentes tarefas, muito tem nos ajudado a presença de convidados brasileiros, engajados em nossos projetos.

Eles vêm para ajudar e representar nossas diferentes parcerias no Brasil. Aceitaram o convite do Aktionskreis e vieram apresentar-se, aqui na Alemanha, como cantores e cantoras que mostram o Brasil da forma mais vívida.

Desde vários anos também visitam grupos com 5-10 pessoas dos projetos paceiros por dois meses como hóspede do Aktionskreis. Ajudou-nos incansavelmente em cada vez mais de 100 apresentações, portadoras da força vital e da alegria de viver da gente brasileira. Isso através de sua presença aqui entre nós, nessa troca de experiências da Fé e da Vida.

O Aktionskreis aproveitou bem a ocasião única, para conscientizar e mostrar como vale a pena engajar-se no trabalho de ajuda aos países do Hemisfério Sul. É isso que achamos estar sucedendo exemplarmente, em nossas relações com o Brasil.

Jovens alemães, têm se engajado no serviço voluntário aos projetos de nossas parcerias com o Brasil. É indispensável intensiva preparação, para que aconteça a execução sadia de tal intercâmbio entre brasileiros e alemães. Quando nossos jovens alemães se comprometem temporariamente com algum de nossos projetos, decidindo-se a conviver e colaborar lá onde o projeto acontece, entendemos tal compromisso como “esforço de aprendizagem da solidariedade”. Neste sentido e com tal objetivo, seguem anualmente para o Brasil entre 8 a 10 jovens alemães.

Parte deles por três meses, outra parte por um semestre. Seres humanos em plena juventude, que desejam solidarizar-se concretamente, na prestação de serviço social no estrangeiro, em vez de cumprir a obrigação deste serviço aqui na Alemanha. Os jovens que se decidem prestar serviço social no estrangeiro, em vez do serviço social na Alemanha, fazem opção por um ano de engajamento. A programação destes jovens é proposta e formulada pelo Aktionskreis, de parceria com o Serviço Ecumênico da Paz (EIRENE), em Neuwied.

Tem aumentado também a solicitação de informações, da parte de aposentados alemães em plena força física, que desejam colocar-se à disposição a fim de, por um período de tempo, colaborar concretamente em algum dos nossos projetos.

O Aktionskreis busca permanentemente encontrar parceiros também no Brasil, que se disponham a cooperações concretas.

Realizamos intermediações e acompanhamentos de projetos, assumidos em parceria com Escolas, Paróquias, Grupo UM-SÓ Mundo (Eine Welt), como também em círculos de amizade e junto a pessoas individuais etc. Percebem-se o aumento do interesse e o desejo de mais informação. É então que procuramos mostrar que só coletar dinheiro não é suficiente.

Tal coisa pode funcionar como álibi se, além dela, não acontecem outros interesses e compromissos com os problemas do Terceiro Mundo. As carências das pessoas, nos países em desenvolvimento, não podem ser superadas apenas com dinheiro. É preciso que sejam buscadas e refletidas as causas históricas do empobrecimento e do subdesenvolvimento. Nas relações Norte/Sul, é necessário que muita coisa mude, a fim de que os pobres, mundo afora, conquistem oportunidades de vida mais justa.

Operamos financiamentos e apoios concretos aos diversos grupos e iniciativas, sobretudo no Nordeste do Brasil. Estes grupos de base geralmente estão ligados de alguma forma à Igreja. Isso ajuda e precisa ser levado em consideração. Neste sentido, colaboramos, de modo especial, com:

  • As obras sociais e pastorais dos franciscanos;
  • Os movimentos de trabalhadores rurais e a Comissão Pastoral da Terra;
  • Os grupos de defesa dos Direitos Humanos;
  • As paróquias;
  • Os projetos de ajuda e promoção das crianças pobres, especialmente das crianças de rua.

Nossa colaboração tem o objetivo de apoiar a população pobre do Brasil, sobretudo os envolvidos em nossos projetos, a desenvolver suas capacidades próprias, a organizar-se política e socialmente na conquista de seus direitos fundamentais. Desta forma, criar força e condições para construir suas vidas com as próprias capacidades.

Neste ponto, o Aktionskreis encontra-se cada vez mais empenhado no trabalho conjunto com as organizações não-governamentais (ONGs) e também com instituições oficiais. Grande parte dos nossos pequenos projetos puderam ser apoiados por co-financiamento da Obra da Santa Infância (Kindermissionswerk), do BMZ (instância federal alemã para projetos em benefício do desenvolvimento), pela Fundação Lotto (Bingo-Lotto) do Estado da Baixa Saxônia e pelo Fundo Missio. Em contrapartida, esperamos que nossos parceiros no Brasil aprendam a cobrar apoio e financiamento também das instâncias brasileiras.

Nas viagens de estudo ao Brasil, preparadas e acompanhadas pelo Aktionskreis tomam parte sempre entre 10-12 pessoas interessadas. Nestas viagens de duraçao de três semanas ao Brasil, os projetos encontram-se sempre no centro das atenções e cuidados. Procura-se então lançar um olhar mais aprofundado no universo da sociedade brasileira, tão agressivamente dividida entre ricos e pobres. É claro que, em viagens internacionais, objetivos turísticos não podem ser descartados; mas eles são apenas aspectos marginais das nossas viagens ao Brasil. Em primeiro plano, também nas viagens, estão encontros com as pessoas do lugar, engajadas em nossos projetos, e sobretudo comprometidas com as mudanças sociais, que levem o Brasil a tornar-se uma sociedade mais justa.

Nossas reuniões da Diretoria: duas vezes por ano, realizamos a Reunião Geral da Diretoria do Aktionskreis e a Assembléia Geral da entidade (uma vez por ano em novembro). São discutidos então os conteúdos e objetivos fundamentais do nosso trabalho. As atas destas reuniões foram sempre confirmadas e assinadas por todos os membros, conforme prescrição estatutária.

Internamente, buscamos orientar-nos pelas normas da Igreja no Brasil, em sua maneira de ser Igreja convertida, sensível aos sinais dos tempos, comprometida com a cultura e com o modo de ver e sentir das pessoas. Que relevância podem ter, para nós, as experiências da Igreja no Brasil? Trata-se naturalmente de questionamentos levantados pela Teologia da Libertação, tais como a opção preferencial pelos pobres e a descoberta da individualidade cultural do outro.

No fim deste relatório, não podemos deixar de mencionar a condecoração honrosa outorgada a Frei Beda, através da Cruz do Mérito Federal, recebida no dia 23 de novembro de 2003. Esse dia sobremodo festivo para o Aktionskreis aconteceu com a presença de 700 amigos e colaboradores. Claro que foi dia festivo, permeado de justas homenagens. Foram então pronunciados muitos discursos e expressados muitos parabéns. No fim deste relatório, seja-me permitido concluir com uma citação daqueles discursos festivos .

Faço isso com os olhos voltados para o futuro de nosso trabalho:

“Frei Beda, em vez de ter de ficar aqui sentado em sua cadeira ouvindo nossos discursos, sabemos que você preferia estar se movendo por aí afora, em suas atividades incansáveis, que mal lhe deixariam tempo para a recepção de homenagens. Nós todos conhecemos você muito bem, tanto nós aqui na Alemanha, como no Brasil, junto aos seus amigos de lá. Mas nós resolvemos diferente de sua maneira pessoal de ser. Pois então, Frei Beda, aceite as honrarias dirigidas também à sua pessoa e não apenas ao Aktionskreis, porque você as mereceu. As presentes homenagens a você nos tornam mais ligados à sua pessoa, tanto nós seus amigos alemães, como seus amigos do Brasil. Bem de acordo com seu modo pessoal de ser e viver, não aceitamos parar e repousar sobre os louros conquistados. Não, já amanhã queremos começar de novo, pois tem muita coisa ainda por fazer. A presente Condecoração do Governo da Alemanha demonstra reconhecimento a você em nível mais alto e vai servir para dar a todos nós mais força e coragem”.