Profissão Temporária

Depois do noviciado, o jovem emite seus primeiros votos de obediência, nada de próprio e  castidade. Estes votos são renovados anualmente por no mínimo cinco anos, por isso é chamado de Profissão Temporária. O jovem frade é então encaminhado para a formação acadêmica (filosófica, teológica ou profissional), tendo ainda o acompanhamento específico para a vida franciscana.

Os frades de Profissão Temporária estão hoje distribuídos em três casas de Nossa Província: Fortaleza-CE, no Convento Nossa Senhora das Dores, Olinda-Pe, no Convento São Francisco e Salvador, também no Convento São Francisco do Pelourinho. Neste período o frade continua seu discernimento vocacional à medida que experimenta mais radicalmente a vida religiosa franciscana como frade menor. Sentindo-se chamado a um compromisso definitivo e passado o tempo necessário para isso o frade faz sua Profissão Solene ou Perpétua, isto é, para toda a vida, consagrando-se para sempre na Ordem.

Os franciscanos são fundamentalmente irmãos, como sugere o título “Frei” (frade = frater = irmão). Esta é a sua primeira vocação. Contudo, em vista do serviço ministerial e da Evangelização podem optar entre o estado clerial (como irmão presbítero) ou laical (como irmão leigo). Este discernimento acontece ao longo do processo vocacional e é feito em diálogo do frade com o Senhor, consigo mesmo e com seus formadores. Em nossa Província a formação oferecida aos que desejam serem irmãos presbíteros ou irmãos leigos é indistinta. No que se refere, porém, à formação acadêmica, aos irmãos presbíteros é exigida a filosófico-teológica e aos irmãos leigos a formação teológica antes de qualquer formação acadêmica específica profissional.

 

Galeria de Fotos

 

Você também pode colaborar na formação de um frade franciscano tornando-se um Amigo das Vocações Franciscanas. Saiba mais…